Monstro Animal
TREM QUE PULA, TRACAJÁ, SANGUINOLENTO!

Arquivo para março 2011

Curitiba 318

março 29, 2011

Hoje Curitiba completa 318 anos e eu me pergunto: quando uma cidade faz aniversário, não deveria ser feriado municipal? São Paulo pára todo ano, no dia de seu aniversário. Por quê eu estou trabalhando igual um animalzinho magro hoje? Eu penso que se Curitiba tivesse cara de gente, ela seria mais ou menos assim: Essa […]

ETC…

março 27, 2011

“(…) meu único defeito é não ter medo de fazer o que gosto (…)” Da música Papai Me Empresta o Carro, de Rita Lee e Roberto de Carvalho Eles estiveram ontem em Curitiba, fazendo única apresentação no teatro Positivo. A Rita Lee, do alto da experiência de seus 65 anos, consegue arrebatar um auditório instantaneamente. A […]

O Amor é Difícil

março 26, 2011

“Eu aqui do alto desse edifício penso no fim desde o início Eu aqui na beira do precipício constato, de fato Que o amor, esse é difícil Cai em pingos de piano na minha sopa Cai em pingos de piano na minha roupa Pancadas no andar de cima do meu coração Caldos de piscina são […]

Dules

março 23, 2011

“Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou… todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou…… todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou.. todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou” BUM “Temos toooodo o tempo dooo muuuuundo” […]

Segunda-fuck

março 21, 2011

Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira, sábado (uau!), domingo, segunda-feira, … Como milhares de “Garfields” espalhados mundo afora, eu também “odeio as segundas-feiras”. Hoje, plena segunda-foda, humor disputando espaço com as frieiras entre os dedos dos meus pés e pensamento navegando em mares como antes ressaqueados, a única coisa que vem à cabeça é: que remédio?? […]

Carrinho de bate-bate

março 18, 2011

Às vezes a gente passa tanto tempo seguindo por uma estrada reta que dá a impressão de que ela liga o nada ao nada. Na realidade existe toda uma paisagem ao teu redor, mas você já não é mais capaz de distinguir as cores. As formas são sempre as mesmas. Depois de muito tempo seguindo […]

O barulho das coisas

março 10, 2011

Era capaz de jurar que ouvia as próprias unhas crescendo Jurava que as horas descendo-lhe pelas costas eram tão audíveis quanto pequenos sinos rolando e quicando Estava certo de que podia reconhecer o estalido discreto de um fio de cabelo branco que lhe despontasse na cabeça O nascimento de uma nova ruga rangia aos ouvidos dele feito bisturi a […]

Expectativas

março 2, 2011

Olhava-se no espelho. Ao fundo, uma janela e ao fundo da janela, um trem. Maquinava pensamentos enquanto se maquiava e observava, através do espelho diante de si, a máquina que atravessava o fundo do vale. Distante, ainda assim podia ouvir o barulho do trem. O som que lhe remetia à infância também lhe remeteria durante […]